rebel

Ask me anythingNext pageArchive

"Eu sei que você detesta que eu faça isso e foi pro isso que eu decidi me despedir de você. Por saber que você não vai ler. Eu consigo lidar tão bem com isso, sabe? Só queria te dizer que você me ofereceu coisas maravilhosas, me ensinou coisas pra vida, me fez sentir viva e me fez viver um grande amor. Ainda não descobri como você chegou, nem como apareceu. Também não consigo entender como consegui te fazer permanecer, meu jeito sonso não facilita muito meus romances. Mas você ficou e parecia querer continuar. Eu me apaixonei, eu amei, comecei a ver coisas que nunca tinha reparado antes. Passados quase dois anos, esse encanto apenas aumenta. A distância me leva pra longe, e talvez não tenha mais nenhum lugar seguro. Eu sei que sou clichê eu sei. Eu nunca tive um termino assim, nem com todas essas idas e vindas nossa, agora eu não sei o que acreditar, não sei se me entende, mas eu faço promessas e metas decidida que vou cumprir, e não cumprimos nem metade. Eu lembro uma vez que você disse que nós éramos a nossa família agora, e eu não sei mais. Ou as frases que você escreveu na minha parede que eu não conseguia parar de ler elas todas as noites até que tive que apagar. Ou a vez que você me abraçou e disse que isso era a melhor coisa, eu não sei mais. Eu dei meia volta algumas vezes, mas nunca te deixei de verdade. Nesse meio tempo, houve rosas, raivas, beijos, mágoas e abraços de urso. Você se tornou meu porto-nada-seguro. Foi você quem cantou pra mim no telefone quando meu mundo e o de todo mundo que me rodeava tava desabando. Eu tinha que ser forte, mas não era. Você cantou pra mim e de repente estava tudo tranquilo. Acho que meu modo automático me mantém afastada da solidão e me traz pra perto."

"Eu poderia escrever sobre você, poderia escrever o quanto você me faz feliz ou então o quanto você me faz sorrir. Poderia escrever sobre o dia que você me pediu em namoro. Ou sobre a nossa primeira briga que não acabou em sexo. Sobre o dia que você me deixou e voltou. Poderia escrever sobre a semana inteira que eu fiquei planejando o jantar do sábado. Ou sobre como foi conhecer sua família. Poderia contar o quanto você me fez mudar. O quanto você me fez ficar viciada em coisas que eu jamais gostei. Sobre como ficar perto de você me faz sentir uma coisa que até hoje eu não sei o que foi. Ou o que é. Poderia escrever sobre o quanto você faz sentido. Sobre o quanto você me fez sorrir quando isso parecia impossível. Poderia escrever sobre te provocar. Poderia escrever sobre o nosso primeiro jantar, só nós duas, quando eu inventei de cozinhar e a comida ficou horrível. Poderia confirmar a minha teoria de que no final as coisas sempre se ajeitam. Poderia montar um livro com todas as cartas que eu escrevi para você e não mandei. Sobre como muitas coisas me lembram você. Poderia escrever sobre como eu era antes de te conhecer. Poderia escrever sobre como consegui viver em um mundo que criamos. Poderia escrever sobre o primeiro dia que eu te vi, ou então sobre como me apaixonei. Ou sobre como eu me senti a primeira vez que você me deu a mão em público. Poderia escrever sobre diversas primeiras vezes com você: primeira vez que fomos no cinema, primeira, primeira lágrima, primeira briga, primeiro sorriso… Ou então como é bom cozinhar para você. Poderia escrever sobre como eu gosto da tua voz, e a sua cara de sono pela manhã. Poderia escrever sobre como odeio não conseguir te odiar, ou então como fico clichê quando falo de você. Se eu fosse escrever sobre o seu perfume, só isso daria um texto enorme. Poderia escrever sobre como escrever sobre você pode me fazer um bem enorme ou um mal danado. Poderia escrever sobre os livros que eu li e gostei, os que recomendo, os que leria de novo e os que não leria nunca mais. Poderia escrever sobre minha banda favorita. Poderia escrever sobre a minha paixão por machucados. Poderia escrever sobre a sua influência nas minhas decisões. Poderia escrever sobre sonhos. Talvez se eu escrevesse sobre o dia em que eu contei para a minha família sobre você… Daria um texto engraçado. Poderia escrever sobre o nosso primeiro beijo. Poderia escrever sobre tantas coisas, mas acabo não escrevendo nada. Nada é sempre o melhor que se pode escrever, quando se trata de você."

Remember all their faces
Remember all their voices
Everything is different
The second time around

(Source: naomigokce, via heatherandkrystal)